SUPER SSV PORTALEGRE 2021: CALOR E PÓ MARCARAM O REGRESSO DO TROFÉU SUPER SSV.

 

COMPETITIVIDADE E EQUILIBRIO DE PRESTAÇÕES EM PROVA BASTANTE DISPUTADA

Depois de mais de um ano de paragem forçada motivada pela Pandemia, o Troféu Super SSV regressou no passado fim-de-semana ás pistas com a realização do Super SSV Portalegre 2021,  precisamente no mesmo local que no ano passado acolheu a ultima prova antes inicio do confinamento.    A prova organizada pelo Código D'Aventura, e que contou com o apoio do Município de Portalegre, foi disputada na Herdade das Coutadas, conhecida por acolher ano após ano a realização do prólogo da Baja de Portalegre.

Ao contrário do que sucedeu em 2020 onde a água e a lama foram os principais obstáculos que os pilotos enfrentaram,  em 2021 foi o muito pó e terreno duro e escorregadio, ao que ainda se juntou o calor estival,  que complicaram a vida aos participantes.  Felizmente a nova fórmula desportiva estreada na edição do ano passado e novamente utilizada na prova de Portalegre provou ser acertada e permitiu que na esmagadora maioria dos casos os pilotos pudessem realizar as suas voltas sem o problema do pó, uma vez que rodavam um a um.   No entanto, se as condições da pista foram possíveis de controlar, já o calor que se fez sentir foi incontornável, e a organização decidiu encurtar o segundo setor para três PEC - Prova Especial de Classificação,  menos duas do que as inicialmente previstas.

Para o Super SSV Portalegre a organização e a X-Adventure, a entidade promotora do Troféu, prepararam duas pistas diferentes, uma mais longa para os SSV e para os "Buggies", e uma outra mais curta para os "Mini Buggy",  com os SSV e "Buggies" a terem as honras de abertura da competição ao disputarem primeiro o Setor 1, seguindo-se os "Mini Buggies", repetindo-se a ordem de prova para o Setor 2.

De um modo geral houve um grande equilíbrio entre as prestações dos pilotos, com os três primeiros a ficarem separados apenas por 34 segundos depois de somados todos os tempos de todas as voltas.  E mesmo nos concorrentes que ficaram atrás, as diferenças entre resultados foram aumentando de forma pouco expressiva. Um outro dado interessante para a história desta prova foi o facto grande parte dos pilotos conseguirem prestações bastante regulares, realizando sempre tempos muito próximos uns dos outros, com uma normal tendência para irem melhorando volta após volta.

Nos SSV venceu á geral Vasco Martins em Can-AM X3, somando 30m10s de tempo total de prova.  Vasco Martins juntou ainda à vitória na geral a vitória na classe Hobby.   Em segundo da geral e primeiro dos "Federados" ficou Herlander Araújo também em Can-Am X3, que ficou a pouco mais de 6 segundos do vencedor.  Em terceiro lugar da geral e segundo dos federados, já a 24 segundos do primeiro ficou Avelino Luis, ao volante de mais um Can-Am.

No que ainda diz respeito aos federados, que só tiveram representantes em prova na Classe T1, o terceiro lugar ficou para Vítor Domingos, em outro Can-Am.

Nos "Hobby", o pódio ficou completo com António Estevão ( Can-Am) em segundo lugar, e com o jovem Afonso Oliveira em terceiro lugar ao volante do único Polaris em prova.

Nos Buggies assistimos ao regresso de vários Rage, que deram bastante espetáculo e animaram a prova.  Bruno Martins, em Rage Comet venceu a classe, seguido de Paulo Godinho a ocupar o segundo lugar com o seu PG Racing 1300 e finalmente em terceiro Pedro Fernandes em mais um dos Rage Comet que se deslocaram até Portalegre.

Quanto aos muito rápidos e espetaculares "Mini-Buggies", o pódio foi totalmente dominado por veículos Semog, porém, todos eles com diferentes números de voltas. Nelson Rocha, com a totalidade das 8 voltas cumpridas venceu prova, em segundo lugar, com 7 voltas ficou Luis Caseiro, e finalmente a fechar o pódio e com 6 voltas ficou Samuel Isabel.

Luis Pirralho, da X-Adventure, comentou no final que:

"Esta prova teve muitos méritos, mas sobretudo permitiu-nos regressar a algum tipo de normalidade.  Tendo em conta a época do ano e as condições do terreno, ainda assim tivemos uma lista de participantes muito interessante, que proporcionou um bom espetáculo, e penso que de um modo geral saíram daqui todos satisfeitos.  Temos que lhes agradecer por terem confiado em nós e por terem comparecido.   Foi pena ter existido tanto pó, porem felizmente que esteve vento relativamente forte e que depressa limpava a pista.  Agora vamos ter uma paragem de alguns meses e regressaremos em Novembro, em Mourão".


Pedro Marcão, do Código D'Aventura, disse após o evento, e em jeito de balanço  do Portalegre TT, evento em que se incluiu o Super SSV Portalegre 2021 que:

"Considero que o Portalegre TT 2021 foi um sucesso! Tendo em conta o piso duro e o muito pó, consequência das elevadas temperaturas que se fazem sentir nesta altura do ano na região, tudo fizemos para proporcionar um evento de grande nível. 300 pilotos inscritos nas várias categorias revelam que de ano para ano o Portalegre TT tem vindo a afirmar-se cada vez mais. Destaco o êxito da prova dos iniciados, uma estreia no nosso evento que se relevou bastante promissora, afinal de contas são eles o futuro da modalidade. Uma palavra de agradecimento ao público presente que cumpriu todas as regras e indicações que lhes foram impostas devido à pandemia."


O Super SSV Portalegre 2021 fez parte do programa do Portalegre TT, foi organizado pelo Código D'Aventura com o apoio do Município de Portalegre, foi promovido pela X-Adventure sob a égide da FMP - Federação de Motociclismo de Portugal

Herlander  Araujo - Primeiro Classificado T1 Federado

 

Bruno Martins - Primeiro classificado Buggy

 

Nelson Rocha - Primeiro classificado Mini Buggy


Comunicado oficial

Super SSV